autora convidada

Leia um trecho de "O corpo descoberto"

Em O corpo descoberto – contos eróticos brasileiros (1852-1922) (Cepe, 2018),  Eliane Robert de Moraes reúne e analisa textos literários de uma época em que a moralidade restringia o vocabulário ao se tratar do corpo, ou até mesmo demandava o anonimato. Foi o caso do poeta parnasiano Olavo Bilac, que usou o pseudônimo de Bob em alguns contos que integram a obra.  


A autora explora também a linguagem utilizada para tratar de sexualidade em textos como Terpsícore, de 1886, escrito por Machado de Assis, que tem como protagonistas o casal endividado Porfírio e Glória. Assis relaciona a sensualidade da personagem a uma "mistura de cisne e de cabrita". Frases como esta são destrinchadas pela pesquisadora para buscar as raízes destas simbologias eróticas. 


Leia um trecho.

 

Na Flip, que acontece de 25 a 29 de julho, em Paraty, Eliane Robert Moraes participa da mesa 11, A santa e a serpente, com Iara Jamra. 

share
Logo da Casa Azul