autor convidado

Leia um trecho de “Alguns humanos”, de Gustavo Pacheco

É um orangotango o personagem que dá nome ao conto de abertura de Alguns humanos (Tinta-da-China, 2018), primeiro livro de Gustavo Pacheco, produzido ao longo de sete anos. Dohong vive no Zoológico do Bronx, em Nova York, com cerca de outros 4 mil animais de centenas de espécies diferentes. Nesta história, e ao longo da obra, acontecimentos reais são a matéria-prima narrativa, como o episódio real, ocorrido no século 20, em que o pigmeu congolês Ota Benga foi enjaulado no mesmo zoológico. 


A partir de animais, de seus sentimentos e inquietações, o autor, que também é diplomata e antropólogo, constrói uma narrativa que passa pelo fantástico e pelo factual, e que é, essencialmente, uma reflexão sobre a própria condição humana.


Leia um trecho.


Na Flip, Gustavo Pacheco participa da mesa 6, Animal agonizante, com Sérgio Sant'Anna.

share
Logo da Casa Azul