autor convidado

Leia um conto de “O sol na cabeça”, de Geovani Martins

Num dia de calor, em que “até o vento que vinha do ventilador era quente”, um grupo de adolescentes desce do morro para a praia. É assim que começa o conto “Rolézim”, que abre O sol na cabeça (Companhia das Letras, 2018), livro de estreia de Geovani Martins. Na história, marcada pela oralidade e uso de gírias, a turma ansiava por “vários mergulho neurótico”, mas acabou na mira da PM. Com a publicação, o autor convidado da Flip 2018 tornou-se um fenômeno por trazer a sua experiência, a cultura e a linguagem da favela para a literatura. Os direitos de adaptação para o cinema, inclusive, foram vendidos para o produtor Rodrigo Teixeira, nome por trás da RT Features, uma das empresas financiadoras do filme Me chame pelo seu nome. A direção ficará por conta de Karim Aïnouz (Madame Satã Praia do Futuro).


Leia o conto.


Na Flip, Geovani Martins participa da mesa 15, Atravessar o sol, com Colson Whitehead.

share
Logo da Casa Azul