autores convidados

Gabriela Greeb e Vasco Pimentel participam da primeira mesa da Flip 2018

A mesa literária que abre a Flip 2018 na  manhã de quinta-feira (26.07) terá a própria Hilda Hilst em suas gravações feitas na Casa do Sol, em fins da década de 1970.


Para isso, a mesa reunirá Gabriela Greeb, cineasta que acaba de concluir Hilda Hilst pede contato, longa metragem sobre a Autora Homenageada que combina os universos do documentário, da ficção e da literatura. Ao seu lado, estará o seu sound designer no projeto, o português Vasco Pimentel, que fez filmes com Wim Wenders, Manoel de Oliveira, Raul Ruiz e, mais recentemente, Daniela Thomas, em Vazante.


“A idéia é irradiar a Hilda Hilst para abrir os trabalhos na quinta-feira”, diz Joselia Aguiar, curadora da Flip 2018.“Será uma mesa num formato diferente, além de ouvir a fala da Autora Homenageada e os ruídos que ela captou por tantos anos, vamos conhecer por meio da pesquisa imensa da Gabriela Greeb, várias nuances da personalidade, do dia-a-dia e do universo ficcional da Hilda Hilst”.


O filme e o livro

Em uma visita à Casa do Sol, Gabriela Greeb tomou conhecimento das fitas com mais de 100 horas de áudios que registraram as experiências de Hilda Hilst, as quais consistiam em tentar captar vozes do além – uma transcomunicação instrumental com pessoas mortas. Algo que, segundo Greeb, metaforiza sua busca por leitores.

 

“Eram experiências científicas, ela queria provar a imortalidade da alma, não se conformava com a finitude, a morte é um dos grandes temas de sua obra. Então se utilizava de sinais de rádio - ruído branco - para abrir um canal de comunicação com os amigos já falecidos”, conta Greeb. 


Parte do material não utilizado na obra audiovisual está incluído em livro homônimo, pela Sesi-SP Editora, que será lançado na Flip.

 

Trajetórias

Gabriela Greeb (São Paulo –1966) é autora de filmes de ficção, documentários e vídeo instalações. Formada em filosofia, mudou-se para a Europa em 1989 e entrou em contato  com o universo cinematográfico. Em 2000, retornou ao Brasil e fundou a produtora HOMEMADEFILMS. A cineasta lançou, em 2005, o longa-metragem documental A mochila do mascate, sobre o diretor e cenógrafo de teatro Gianni Ratto, que conta com depoimento de Fernanda Montenegro, entre outros nomes. A obra foi finalista do prêmio de público da Mostra Internacional de Cinema.

 

Vasco Pimentel (Lisboa –1957) é diretor de som com estudos musicais pelo Conservatório Nacional de Lisboa e formação em cinema pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Em atividade desde 1979, trabalhou em mais de 140 filmes de longa-metragem – entre eles O Céu de Lisboa, de Win Wenders; Aquele Querido Mês de Agosto, de Miguel Gomes; e Vazante, de Daniela Thomas. Ministrou aulas e workshops em instituições como a Universidade Nova de Lisboa, a London FilmSchool e a Cineteca de Madri. É colaborador regular do prestigiado Teatro da Cornucópia.

 

Flip 2018

A 16ª Flip, que acontece de 25 a 29 de julho, tem curadoria de Joselia Aguiar e Hilda Hilst como Autora Homenageada. Estão confirmados os nomes de Fernanda Montenegro e Jocy de Oliveira para a sessão de abertura e de André Aciman, Leila Slimani, Isabela Figueiredo, Alain Mabanckou e Maria Teresa Horta.

 

Quem faz a Flip

A Flip tem o patrocínio do Ministério da Cultura por meio de leis de incentivo e apoio da EDP. A edição 2018 está em fase de captação.

share

Notícias

Logo da Casa Azul