notícias

Deborah Levy

Deborah Levy confirmada na Flip 2017

Uma das vozes mais originais da literatura de língua inglesa, Deborah Levy, sul-africana radicada em Londres, está confirmada na Flip 2017, que acontece entre os dias 26 e 30 de julho, em Paraty. Autora versátil, que publica romance, teatro e poesia, tem sido apontada pela crítica literária londrina como parte de uma geração de autores brilhantes que vai ocupar a cena internacional na próxima década. 


A autora lançará Coisas que não quero saber (Autêntica), uma resposta aos ensaios de Por que escrevo, de George Orwell, e ao mesmo tempo um diálogo com Um teto todo seu, de Virginia Woolf. No livro, Levy reflete sobre as razões que a levaram a escrever,traçando paralelos com lugares que marcaram sua vida, como a África do Sul em pleno apartheid e o subúrbio londrino de Finchley. Ela também lança Hot Milk (Rocco), livro com o qual chegou, pela segunda vez, à lista final de indicados ao Man Booker Prize.


A autora 

                                                  

Deborah Levy nasceu em Joanesburgo, África do Sul, em 1959. Seu pai, o historiador Norman Levy, um judeu de origem lituana e membro do partido social-democrata African National Congress, foi preso devido à sua atuação política antiapartheid. A autora tinha nove anos quando ele foi libertado, ainda em regime de prisão domiciliar, o que motivou a mudança da família para a Inglaterra.


Estudou no extinto Dartington College of Arts até 1981, quando passou a escrever suas primeiras peças de teatro para a Royal Shakespeare Company. Em 1986, publicou Beautiful Mutants, primeiro dos seus seis romances, pelos quais recebeu diversos prêmios internacionais.Foi duas vezes finalista do Man Booker Prize, com Nadando de volta para casa (Rocco) e Hot Milk (2016), livros em que explora questões sobre identidade, exílio e deslocamento. O último também será publicado no Brasil pela Rocco.


"Fiquei muito curiosa sobre a Deborah Levy quando a Liz Calder chamou minha atenção para seu nome", afirma Joselia Aguiar, curadora da Flip 2017. "Descobri então uma autora de fato muito inventiva. Vamos escutar suas reflexões sobre o que é escrever e seu processo criativo, sua trajetória como autora mulher em diversos gêneros e também sua experiência na África do Sul ainda no tempo do apartheid. Tudo isso nos interessa muito como leitores e leitoras neste momento.”


“Deborah Levy é uma das vozes mais originais, astutas e surpreendentes que temos hoje”, diz Liz Calder, experiente editora em Londres e uma das fundadoras da Flip. “Seus romances refletem com muita precisão o mundo moderno, em uma prosa fascinante. Estou certa de que ela causará grande e duradoura impressão e ganhará muitos leitores em sua visita ao Brasil”.


Flip 2017

 

A 15ª edição da Flip, com curadoria de Joselia Aguiar, homenageia LimaBarreto e já tem confirmados os nomes de Marlon James, Diamela Eltit,Scholastique Mukasonga, Lázaro Ramos, Lilia Schwarcz, Felipe Hirsch, FredericoLourenço, Djaimilia Pereira de Almeida, Luaty Beirão e Conceição Evaristo.

 

Patronos 2017

 

O Programa de Patronos é umplano de mecenato voltado a pessoas físicas que apoiam a realização da FestaLiterária Internacional de Paraty.

 

Além de contribuir para aviabilização dos 5 dias de evento, o patrono fomenta as ações educativas depermanência promovidas pela Flip no território.

 

Os benefícios incluemingressos para a Programação Principal da Flip, convites para o coquetel deboas-vindas com a participação dos autores, e encontros com a curadora e com odiretor-executivo da Casa Azul, entre outras atividades.

 

Mais informações pelo e-mailpatronos@casaazul.org.br.

 

share
Logo da Casa Azul